Vela RC Brasil Express

Jornal Eletrônico da Vela RC Brasileira

2018 – Acontecimentos na COPA DEL PACIFICO 2018

Relato do velejador que esteve presente ao evento.

Relato de Marlon Prestes….

Local do evento: O local do evento é sensacional, um clube de aeromodelismo montado a aproximadamente uma hora de viagem da cidade de Santiago, amplo, extremamente bem estruturado e bonito. A área de contêineres onde os associados guardam os seus “brinquedos” é gigante.

Raia: Outro ponto incrível do local, o grande tanque que abriga a raia, também muito bem construído e bonito, o palaque para pilotagem é enorme e bem alto, de frente para o leste praticamente não pega sol de frontal após as 10:00 h.

Ventos: O regime de ventos nessa região é bem determinado pelas estações, que fica próximo a cordilheira dos Andes. Não tenho certeza, mas no inverno quase não há vento, pouco no verão e bastante nos períodos de primavera e outono.

Bem definido na direção e horários sempre, inicia no meio do dia e tende a aumentar até o final do dia. Geralmente fortes, comum o uso de velas C e D nas classes praticadas.

Veleiros: a maioria dos 30 barcos presentes eram Skinny feitos por Pedro Stier e pelo Projeto Skinny, também haviam Stinger, Scurry, Argon, Manta importado feito pelo projetista …, na página do evento, inscritos, você tem todos os barcos e quantidades finais.

Os brasileiros foram pegos de surpresa, presentes pela segunda vez na raia, a primeira foi no sul americano de 2017 no mesmo local no mês de abril, onde os ventos estiveram tão fracos que um dia sequer houve regata, quase todos os barcos que se destacaram tinham bastante lastro, o barco igual ao nosso que ficou com a segunda colocação usava bulbo de 700 gramas enquanto estávamos com 550 gramas em média. Destaque foi para Jorge Bercht que assim mesmo conseguiu uma boa colocação demostrando que os treinos de vela C no Guaíba tiveram efeito positivo, e Claudio Sala, também sem tanto lastro se mostrou conhecedor da raia e habilidoso nesta condição

Organização: A organização dos chilenos junto com a educação e recepção é perfeita, horários, alimentação, jantar de confraternização, raia bem montada, destaque para a rígida e amigável juria, não perdoava ninguém, punia os ponteiros na regata e os bem colocados no campeonato a todo instante que algo errado acontecia.

Acontecimentos pitorescos: Paulo Krinke, quinze dias após perder o seu barco M no campeonato na Barra do Sul perde o seu Stinger no campeonato do Chile, detalhe este seu mesmo barco já afundou em Curitiba e conseguiram resgatar, desta vez não deu ainda, o clube chileno deverá esvaziar a lagoa esta semana para procurar o barco.

Após o final das regatas do segundo dia, Paulo krinke pediu auxílio a Pépe Glaser para uma ajuda no barco dentro da lagoa, pois ele achava que tinha visto algo, dentro do lago empurrou o representante nacional da classe no Brasil para dentro da água e disse, “já que está aí aproveita e olha aquilo ali no fundo”, infelizmente não era o barco.

Outros acontecimentos: A quantidade de comandantes brasileiros que atenderam ao evento possibilitou uma boa organização e redução de custos, pois locamos e dividimos os valores de apartamento para estadia ao invés de hotel e locamos uma van para deslocamentos, voluntariamente os contatos e locações foram feitos pelo Odenir (apartamentos) e Ervino (van) que também foi o nosso motorista.

Destaque para equipe de Curitiba, Flotilha ITC, que continha 5 dos 7 comandantes brasileiros do evento.

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: